Passeios de Arquitetura – Conhecendo São Paulo

janeiro 7, 2015 em Notícias

Instituto Caetano Campos - IAB SP

Edifício do Instituto Educacional Caetano Campos, localizado na cabeceira da Praça da República.

São Paulo, a cidade mais populosa do país e o principal centro financeiro da América do Sul é, também, um dos pontos fortes da arquitetura do Brasil. Ao passear pela região central acompanhando os inúmeros estilos arquitetônicos ali dispostos, é possível notar o crescimento da metrópole fundada lá em 1554.

Notando a carência de um guia completo com informações sobre a arquitetura local, o IAB/SP (Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento de São Paulo) lançou o Passeios de Arquitetura, um portal que indica a quem estiver interessado as obras arquitetônicas paulistanas mais consagradas e, também, as menos conhecidas, porém de igual valor cultural.

“Este guia pretende ser mais do que um simples mapas com indicações pontuais. São sugestões de passeios arquitetônicos que detalham não apenas aspectos da arquitetura local, mas também descrições do território e outros interesses que podem atrair o olhar do visitante”, comenta Rafael Schimidt, arquiteto que coordena o projeto ao lado dos colegas Baldomero Navarro e Thiago Natal Duarte.

Nesta primeira etapa, o Passeios de Arquitetura sugere passeios por dezenas de pontos de interesse em torno do edifício do IAB/SP (localizado à Rua Bento Freitas, no centro da cidade). “Dalí partem cinco rotas possíveis passando pelas praças que formam um pentágono em volta da área de abrangência”, explica Schimidt. Ao acessar o portal pelo computador ou pelo dispositivo móvel é possível percorrer os passeios: República, Dom José Gaspar, Roosevelt, Rotary e Arouche.

Focado em oferecer esta diversidade cultural e arquitetônica a todo o público, sejam profissionais da área ou não, o projeto recebeu acessos de inúmeras localidades graças à mídia e à divulgação via redes sociais. “É possível verificar que tivemos acessos de todos os continentes. Muitos interessados, mesmo não sendo arquitetos, nos escrevem solicitando mais informações. Outros até sugerem novos pontos que ainda não estavam no percurso”, relata Schimidt.

Como próximos passos, a equipe responsável pelo projeto pretende aumentar esta área de abrangência inicial, incluir outras regiões da cidade de São Paulo, traduzir o conteúdo escrito para outros idiomas a fim de oferecer este mesmo guia a turistas estrangeiros, inserir interatividade entre os usuários e investir na plataforma digital.

No time de profissionais envolvidos no Passeios de Arquitetura também estão os arquitetos Maria Helena Flynn e Marco Aurelio Lagonegro na pesquisa, Rui Alão na programação da plataforma digital e José Armênio de Brito Cruz e Débora Frazatto na supervisão.

O que vou conhecer ao me guiar pelo Passeios de Arquitetura na capital paulista?

Para acessar os circuitos de caminhada sugeridos, basta entrar em www.passeiosiabsp.com.br. Por lá é possível traçar as rotas passando por diversos pontos arquitetônicos da cidade de São Paulo. São 50 localidades como, por exemplo, as obras de Oscar Niemeyer Edifício Copan e Galeria Califórnia, o prédio onde está o famoso Terraço Itália, a tradicional Santa Casa de Misericórdia e a Igreja Nossa Senhora da Consolação.

Prepare um bom par de tênis, sua máquina fotográfica, um boné ou chapéu e bom passeio!

Galeria Califórnia

Galeria Califórnia – Com arquitetura de Oscar Niemeyer, está localizada na Barão de Itapetininga

Santa Casa de Misericórdia

Santa Casa de Misericórdia – Obra de Luigi Pucci, é considerada o maior hospital filantrópico da América Latina

Edifício Itália

Edifício Itália – Chamado oficialmente de Circolo Italiano, é um marco da cidade desenhado pelo arquiteto Adolf Franz Heep

Edifício Copan

Edifício Copan – Também desenhado por Niemeyer, é um dos mais tradicionais edifícios paulistanos. Está localizado na avenida Ipiranga, um dos pontos mais movimentados da capital

Igreja Nossa Senhora da Consolação

Igreja Nossa Senhora da Consolação – Na rua da Consolação, a igreja foi projetada por Maximilian Emil Hehl e segue o estilo revivalista neo-românico

Posts Relacionados: