Mobilidade urbana – Os escritórios estão prontos para receber colaboradores ciclistas?

abril 28, 2015 em Notícias, Projetos Corporativos, Tendências

Mobilidade urbana - Arquitetura adaptada aos ciclistasOs moradores paulistanos têm debatido com afinco a inserção de ciclovias e ciclofaixas cruzando a metrópole, tema que divide opiniões. Segundo informação da CET SP – Companhia de Engenharia de Tráfego da cidade de São Paulo, a meta é entregar, neste ano de 2015, 400 quilômetros de vias cicláveis (até o momento a capital conta com cerca de 335km).

A tendência é mundial e vem sendo adotada por grandes cidades como Nova Iorque que, desde 2007, conquista incríveis melhorias urbanas graças a construção de ciclovias protegidas. De acordo com este atual cenário, é interessante analisar a necessidade de adaptação dos espaços privados e também da cultura da sociedade. Para se tornar “Bike Friendly”, uma empresa que apoia este projeto deve oferecer toda a infraestrutura necessária para receber um colaborador ciclista.

As adaptações nos espaços corporativos já estão ocorrendo, assim como no setor de serviços que circundam centros comerciais. “Essas adaptações têm como foco principal oferecer comodidade e segurança aos ciclistas”, comenta Graziella Aguiar, arquiteta e consultora na Master House Manutenções e Reformas.

Pensando exclusivamente na locomoção via bicicleta, o que um escritório precisa ter para melhor receber este ciclista? Para Graziella, as alterações estruturais são normalmente simples e acessíveis: “Precisamos garantir segurança oferecendo um espaço amplo próprio para as bicicletas, pensando sempre que é neste local que os ciclistas vestirão seus trajes de segurança, ou seja, não deve ser um ambiente muito apertado e movimentado”, esclarece. Quanto aos custos desta adaptação, Graziella traça uma estimativa viável. “A substituição de uma escada de cinco degraus por uma rampa de acesso e a construção de um bicicletário para 20 bicicletas podem ser feitos com uma verba média de R$ 6.500,00”, afirma.

Bicicletário do metro de São PauloQuanto a construção de bicicletários, é importante observar alguns pontos para garantir que esta adaptação seja realmente eficiente. A Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo (www.ciclocidade.org.br) dá instruções importantes. Além de instalar o bicicletário em um local visível, acessível e bem sinalizado, deve-se garantir espaço suficiente para o estacionamento e a manobra dos bikes. Isso significa que a distância lateral entre os suportes (ou paraciclos, como são tecnicamente chamados) deve ser de no mínimo 75 centímetros evitando, assim, o choque entre os veículos. Além disso, dentre os formatos disponíveis no mercado, o arquiteto deve dar preferência aos que prendam as bicicletas pelo quadro, e não pelas rodas, já que este último não garante o encaixe de todos os modelos e tamanhos. Os formatos em gancho também devem ser evitados, afinal não é todo mundo que tem força para erguer a bike para pendurá-la.

Além do acesso e do estacionamento, as empresas devem considerar a instalação de vestiários para que os ciclistas possam se banhar ao chegar ao trabalho, afinal a bicicleta é um transporte que exige esforço físico. Bares e restaurantes instalados próximos a centros comerciais também já estão adaptados ou investindo nesta adaptação. Alguns já oferecem banheiros com duchas para que os trabalhadores possam tomar café da manhã e depois se preparar para o dia de trabalho.

“A motivação que os ciclistas estão recebendo é incrível. Nós da Master House também incentivamos a bicicleta como meio de transporte, visto que os benefícios são inúmeros. Acreditamos que teremos mais e mais ciclistas nas ruas a cada dia”, conclui Graziella.

Quem está prestes a encarar um novo projeto de adaptação com foco no acolhimento dos ciclistas, seja em um espaço comercial ou residencial, pode encontrar mais informações técnicas na Cartilha da Associação Transporte Ativo, que pode ser baixada gratuitamente clicando AQUI. O portal também oferece referências internacionais interessantes para quem estuda o tema. Basta acessar http://www.ta.org.br ou clicar AQUI.

Sanepar, no PR, incentiva a locomoção via bicicleta

Sede da Sanepar – Companhia de Saneamento do Paraná, em Curitiba, que incentiva o uso da bicicleta como meio de transporte por meio do programa interno Eco Ciclo. O bicicletário foi construído para abrigar até 60 bikes.
(Foto: Reprodução Gazeta do Povo/Array/AEN)

Posts Relacionados: